Quem é?

A minha história de vida foi construída baseada na crença inabalável que que juntos somos mais fortes e só assim podemos chegar mais longe. Por conta disso, ao mesmo tempo que desenvolvi minha carreira profissional na gestão de empresas nacionais e multinacionais, participei ativamente em organizações profissionais e empresarias como voluntário.

Sou economista e na época que estudava na UESC, no sul da Bahia, fui escolhido para assumir a presidência da empresa júnior dos cursos de administração e economia, a Cia Jr. Consultoria, e logo depois da UNIJR-BA, federação estadual do setor. Fiz mestrado em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente também na UESC e tive a honra de representar meus colegas como líder da turma. Tempos depois, já com bastante experiência profissional, pude contribuir com negócios internacionais quando fui vice presidente da Câmara de Comércio Brasil Portugal na Bahia, época em que eu desempenhava uma função de liderança em uma empresa multinacional portuguesa. Nos últimos anos não tem sido diferente, no meu trabalho como professor e especialista na áreas de gestão, liderança e educação corporativa, realizei projetos em importantes e influentes organizações do país e, aliado a isso, estou como presidente da ABRH-BA – Associação Brasileira de Recursos Humanos, seccional Bahia, o que também me levou a ser membro do comitê do segundo maior evento da área de gestão de pessoas do mundo, o Conarh. Ainda tive oportunidade de contribuir em outras organizações como o CRC-BA, na função de ouvidor assistente, já que iniciei minha carreira como contabilista registrado aos 17 anos, e também presidente da APEMI – Associação de Pequenas e Micro Empresas de minha cidade natal, Ibicaraí, quando era ainda bastante jovem e estava iniciando na vida empreendedora. Eu acredito, e o meu histórico demonstra que é assim que eu vivo, que não tem como mudar a realidade de nossa sociedade se não for através da participação ativa de todos nós, contribuindo como pudermos, de acordo os nossos talentos e respeitando as nossas limitações. Nunca parei de estudar e hoje, aos 40 anos de idade e após mais de 25 de anos de experiência profissional, tenho a satisfação de já ter ajudado no desenvolvimento de líderes de organizações públicas e privadas, desde presidentes de empresas a magistrados.

Por conta de tudo isso, sinto que chegou a hora de contribuir diretamente através da política, mas uma política de verdade, aquela com "P" maiúsculo, para transformar o Brasil no país que ele pode ser e que nós merecemos que ele seja.